You are currently browsing the tag archive for the ‘florence’ tag.

Detalhe do Duomo de Florença: magnífico.

Texto e fotos por Denise Mustafa (www.flickr.com/denisemustafa)

Foi nosso primeiro destino. Depois de muitas pesquisas sobre como iríamos aproveitar esses últimos dias de Europa, resolvemos passar 1 semana inteira em Florença, conhecer bem a cidade e aproveitar pra fazer os básicos bate-voltas por alguns lugares da Toscana.

Pegamos o vôo da Ryanair, saindo do Porto e indo direto à Pisa. Mas não deu pra ver nada na cidade. Primeiro que já era tarde e segundo que preferimos deixar pra quando fossemos embora, já que seria via Pisa também. Não compramos as passagens de trem no site da Trenitalia, mas comprar na hora foi super tranqüilo. De Pisa a Florença tem uma imensidão de horários e o trem sai direto do aeroporto, o que facilita muito a nossa vida. Prestamos atenção nas outras pessoas validando os bilhetes e fizemos a mesma coisa. Tudo certo. Basta só colocar o bilhete dentro das maquinetas e pronto. Tivemos que fazer baldiação na estação de Pisa Central.

A paisagem da viagem de trem é um espetáculo. Já dá pra sentir o gostinho de estar na Toscana. As plantações de girassóis emolduram a janela do trem.

Já em Florença, nos deparamos com a estação Santa Maria Novella super lotada! Fomos andando até o hotel, que ficava a uns 15 minutos de lá. Reservamos, com bastante antecedência, um quarto na guest house Locanda Gallo. O quarto é simples,  vem com uma mini cozinha, o que é uma mão na roda pra quem vai ficar mais tempo na cidade. Com TV, ar condicionado (fomos no verão. Esse item era mais do que essencial) e internet wi-fi grátis! Ficamos no quarto Dante. O hotel fica no centro da cidade! Os donos são 2 irmãos super simpáticos. Atendimento super bacana. Valeu a pena.

Florença é o tipo de cidade gostosinha pra se fazer tudo a pé. O verão é bem ferrenho, mas nada que nos impeça de caminhar bastante e se impressionar com cada esquina! A cidade de Leonardo Da Vinci, Galileu Galilei e tantos outros artistas renascentistas é tão acolhedora e tão bem preservada que nos faz voltar ao passado.

Saindo do hotel, já no primeiro dia de manhã, em poucos passos já estávamos na rua da Galleria dell’Academia (preço da entrada: 6,50 euros, de acordo com o site. No verão, eu paguei 10 euros). Poucas passadelas depois, a imensidão do Duomo toma conta da nossa visão, deixando-nos perplexos. Juro que meus olhos encheram-se de água, diante de tanta beleza. Quando percebi, vi que a cidade estava lotadérrima, com pessoas de todas as idades, nacionalidades, raças.. vários grupos de turismo, todos embasbacados com tanta beleza.

O majestoso Duomo

Andando mais um pouco, chegamos à conhecida “sala de estar” de Florença, a Piazza della Signoria, com diversas esculturas ao ar livre. Algumas réplicas, como o David e Michelangelo, e outras verdadeiras, tornam a praça em um museu ao ar livre. Um belo pretexto para sentar, tomar um sorvete, e ver o tempo passar observando tudo ao redor e encher o corpo e a alma de cultura.

Piazza della Signoria

Logo do lado, a Galleria degli Uffizzi (preço: mesma coisa da Accademia), com uma fila gigantesca. É possível fazer a compra do ingresso pelo site (pagando uma taxa extra por isso) ou enfrentar a fila e comprar os ingressos para o Uffizzi e a Accademia juntos. Como não havíamos comprado os tickets pela net, no dia que fomos ao museu tivemos que enfrentar uma filinha básica. Mas nada que tirasse o nosso ânimo de entrar no Uffizzi e ver quadros super antigos, como o Nascimento de Vênus, de Botticelli, e outras obras sensacionais de Rafael, Michelangelo, Da Vinci, Caravaggio… todos os renascentistas reunidos em um mesmo lugar.

Fila básica no Uffizzi

Continuando a caminhada, chegamos até Ponte Vecchio, com suas milhares de lojinhas de ouro e lembrancinhas do Pinnochio.

A linda vista da Ponte Vecchio

Logo mais a frente, nos deparamos com o imenso Palazzo Pitti, uma brilhante obra arquitetônica. Lembrando que tudo isso A PÉ!

Palazzo Pitti

Na volta, sempre passávamos pela Piazza San Marco, iluminada com um lindo carrossel, próxima a casa de Galileu Galilei.

Quão não foi minha felicidade quando soube que havia exposição de um dos meus fotógrafos favoritos, Robert Mapplethorpe, na Galleria della Accademia. Não pudemos deixar de fazer essa visita e ver o verdadeiro David, de Michelangelo, e lindas fotografias de Mapplethorpe, sendo comparadas com esculturas e suas relações de corpo, simetria e músculos que o norte-americano tanto gostava de trabalhar. Felicidade em dobro!

Em Florença, como ficamos 1 semana, fazíamos comidinhas gostosas no nosso hotel. Foi ótimo porque assim pudemos conhecer os supermercados e mercearias da cidade, comprar uma pasta gostosinha, os melhores pomodoros (tomates) do mundo, vinhos deliciosos… é uma cidade que vamos guardar com carinho, com as melhores lembranças e que pretendemos voltar muito em breve!

Os tomates mais gostosos do mundo!

Nos próximos posts eu conto pra vocês sobre nossas viagens curtas (bate-volta) feitas à partir de Florença.

Curiosidades:

– O pôr-do-sol na Ponte Vecchia é uma imagem dos deuses. Também era normal ver casais de noivos, fotografando na paisagem da ponte.

– Existem várias feiras na cidade. A Toscana é um dos melhores lugares pra se comprar artigos de couro. Mas, se você está com pouco dinheiro (como eu) dê só uma olhadela na feira do Porcellino. Vá lá e passe a mão no fucinho do javali, que dizem dar sorte. Pra comprar, caminhe rumo ao Mercato de San Lorenzo. Bolsas e carteiras a míseros 15 euros! É a própria perdição. Fica a dica.

– As pizzas vendidas em pequenas lanchonetes por toda a cidade são baratinhas e você compra no peso. São uma delícia!!! Serve pra fazer um lanchinho entre um passeio e outro. Além dos sorvetes… ahhhh os sorvetes…

%d bloggers like this: